domingo, 4 de maio de 2014

Lições de sábado 133

Corremos para encurtar o tempo, para tirar o atraso, para adiantar o serviço, para não perder a hora, para chegar mais cedo, para se ver livre de algo, para terminar antes. E o que damos em troca dessa economia? Deixamos de dormir mais, de descansar mais vezes, de pensar na vida, de meditar um pouco, de ouvir mais música, de passear à tarde, de tomar sorvete, de tirar uma soneca, de conversar com amigos, de ter tempo livre. O tempo não é o carrasco da nossa vida, mas o tornamos o executor de nossas tarefas ao estipular prazos menores que o necessário e aceitar mais trabalho do que conseguimos executar. Sua vida está ociosa? Faça mais coisas. Não tem dinheiro suficiente? Arrume dois empregos. Está devendo na praça? Faça um empréstimo. Se sobrar dinheiro, viaje. Nada disso vai resolver seu problema de tempo, pois para correr menos entre suas obrigações, deveria diminuir o ritmo e ter menos para fazer. O tempo só nos cobra uma coisa: coerência, senão não vai sobrar muito dele para contar sua história. 

 4/05/2014 - 23h51


Nenhum comentário:

Postar um comentário