sábado, 28 de dezembro de 2013

Lições de sábado 110

Hoje, último fim de semana do ano ensolarado no Rio de Janeiro, queria que o tempo passasse mais devagar para aproveitá-lo bem. As tardes, que são lindas, poderiam durar um pouco mais, e o tempo seria mais gentil com o que temos de fazer. Por mais que se façam coisas, nunca fazemos todas, e há algumas que parecem que não andam. Arrumamos o que tem que ser feito com o que se fará, e sabemos o que descartamos, pois nunca poderemos fazê-lo. Há perdas e profundas separações, e saudades e atrasos, em que olhamos para nossa própria vida como se fosse de outro. O que traria comigo que é meu? De fato, isso já está aqui. E o resto deixamos pelo caminho. E estar aqui a falar sobre isso me acalenta e não me deixa entristecer. Porque dentro de nossa finitude, há uma sensação de infinito que não cessa.

28/12/2013 - 9h59


Nenhum comentário:

Postar um comentário